Bloco K é Novamente Adiado

Bloco K é Novamente Adiado

Bloco K é Novamente Adiado

Mais uma vez os secretários estaduais de fazenda adiaram o prazo de implantação para o bloco K.

Não é a primeira vez, talvez não seja a última mas a próxima data ficou para janeiro de 2017, então vamos lá pra um resumo dos enquadramentos e datas:

Janeiro de 2017:

Para os estabelecimentos industriais classificados nas divisões 10 a 32 da classificação nacional de atividades econômicas (CNAE) pertencentes a empresa com faturamento anual igual ou superior a 300 milhões de reais. E também para os estabelecimentos industriais de empresa habilitada ao regime aduaneiro especial de entreposto industrial sob controle informatizado (Recof) ou a outro regime alternativo a este.

Janeiro de 2018:

Para os estabelecimentos industriais classificados nas divisões 10 a 32 da classificação nacional de atividades econômicas (CNAE) pertencentes a empresa com faturamento igual ou superior a 78 milhões de reais

Janeiro de 2019:

Para os demais estabelecimentos industriais. Os estabelecimentos atacadistas classificados nos grupos 462 a 469 da classificação nacional de atividades econômicas (CNAE) e os estabelecimentos equiparados a industrial.

BLOCO KNOVAMENTE ADIADO
Ameaça de acesso a segredos industriais

Detalhamento de dados ameaça segredo industrial

A indústria também argumenta que o nível de detalhamento exigido pelo Bloco K representa uma potencial ameaça de violação de fórmulas protegidas por segredo industrial para empresas concorrentes. Dentro do Confaz, a proposta de prorrogação foi encaminhada por sua Comissão Técnica Permanente (Cotepe), formada por técnicos das fazendas estaduais, com o apoio da Receita Federal.

A simplificação das obrigações contidas no Bloco K é uma das 94 propostas encaminhadas pela CNI ao governo federal, em novembro, e que estão no documento Regulação e Desburocratização: propostas para a melhoria do ambiente de negócios.

 Mais custos serão re-passados

A Associação de Fabricantes de Brinquedos (Abrinq) relata que as companhias gastaram 3% da produtividade delas para manter o programa de informações exigidos pelo bloco K.
Então, é polêmica na certa… o Fisco quer mais informações para poder fiscalizar ($) e por outro lado as empresas não têm interesse nesse aumento de custos para gerar estas informações, sem falar na questão do sigilo industrial…

Até mais!

Fontes:
http://www.jornalcontabil.com.br/alerta-prorrogacao-bloco-k-sped-fiscal-beneficia-empresas-e-contadores/

http://www.portaldaindustria.com.br/cni/imprensa/2015/12/1,78886/adiamento-do-bloco-k-para-2017-e-medida-acertada-diz-cni.html

http://www.fenacon.org.br/noticias/empresas-ganham-mais-prazo-para-a-implantacao-do-bloco-k-do-sped-126/

http://www.sitecontabil.com.br/noticias/artigo.php?id=1455